2011-11-28

lipovetsky-x

no deserto enfim
fim afundado lento
alento sobretempo
encontro de mim
nas asas do vento
a depressão e o flip
a inércia desertiva
contra o cool humano
vão moldando a noite
os vulneráveis coiotes
irrompem intestinos
e um puro narciso nasce.

2011-11-10

A benefício de inventário: Álvaro Cunhal



Álvaro Cunhal nasceu em Coimbra num dia 10 de novembro assim. Olhando o espetro político, à direita e à esquerda, poucos, muitos poucos dele se aproximaram em valor. Talvez nem ninguém acima. Ao lado, no século XX português, talvez um D. Carlos, um Sidónio Pais, um Salazar, um Adriano Moreira, um Mário Soares... Que diferença, quando olhamos para os atuais homens da nação. Sem discussão, Cunhal é um dos nossos maiores, reunindo uma completude invejável - quem assim político, ficcionista, ensaísta e artista plástico? Dos atrás citados, só D. Carlos era também um polivalente. Dos políticos no ativo, e pense-se até nos premiados europeus (Barroso, Constâncio...), a que distância não ficam todos?
  

Serões à volta de Aquilino - conversa com o Dr. António Fernandes sobre "Aquilino , republicano... mas não tanto"


2011-11-09

A benefício de inventário: Carlos de Lemos


Joaquim Paço d' Arcos, neste importante ensaio sobre o poeta Guilherme de Faria, manifesta, a páginas 24, o injusto esquecimento a que estava votado, ali por 1970, o também poeta Carlos de Lemos. Lembra o ficcionista português o facto de Lemos ter sido professor de Faria no Liceu de Passos Manuel e de ter publicado nas Novidades de 14 de Abril de 1927 um decisivo ensaio sobre a atividade literária do autor de Destino. Haja memória para ambos...

2011-11-06

2011-11-02

lipovetsky ix

o comboio despede do coração
irrompendo clandestino nas veias
rumando para o deserto lá longe
até um terminal no além inóspita
sede na língua o flip o mal de vivre.